95,1 FM

(64) 3651-1452

Notícias/Política

Lula se reúne nesta sexta com Nicolás Maduro

Reunião bilateral acontece em meio a preocupação internacional sobre o risco de não haver eleições democráticas e limpas na Venezuela

Lula se reúne nesta sexta com Nicolás Maduro
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Por Ricardo Abreu, GloboNews — Kingstown

 

 
 
 
 

Durante a participação na 8ª Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), em São Vicente e Granadinas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai se reunir nesta sexta-feira (1º) com o presidente da VenezuelaNicolás Maduro.

Na conversa com Maduro, a expectativa de auxiliares próximos de Lula é de que o presidente meça a temperatura no país e manifeste o interesse do Brasil em ver o total cumprimento do Acordo de Barbados — celebrado em outubro do ano passado.

O acordo prevê eleições transparentes e democráticas, além da libertação de membros da oposição ao regime venezuelano. Mas a Venezuela vem recebendo críticas da comunidade internacional por não cumprir o acordo.

 

 

 

Na semana passada, pelo menos 12 funcionários de um escritório local do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) deixaram a Venezuela, depois que o governo determinou sua saída.

Outros fatores contribuem para a preocupação de Lula quanto ao cumprimento do Acordo de Barbados, segundo relatam assessores do presidente do Brasil.

No fim de janeiro, a líder da oposição na Venezuela, María Corina Machado, que venceu as primárias da oposição, teve a candidatura para as eleições presidenciais barrada pelo Supremo Tribunal. E, no início de fevereiro, foi a vez de a ativista Rocío San Miguel ser presa, considerada terrorista e traidora da pátria pelo governo Maduro.

Presidentes Lula e Maduro durante encontro em Brasília, em maio de 2023. — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Presidentes Lula e Maduro durante encontro em Brasília, em maio de 2023. — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

 

Durante a semana, havia a expectativa sobre outro assunto a ser tratado por Lula e Maduro: a disputa pela região de Essequibo, na Guiana. Mas no encerramento da passagem pelo país, onde se reuniu com o presidente Irfaan Ali, nesta quinta-feira (29), Lula afirmou que não tratou sobre o conflito diplomático.

"Se em cem anos não foi possível resolver esse problema, é possível que a gente leve mais algumas décadas", disse.

"Por que não discutimos? Porque não é o momento de discutir, era uma reunião bilateral para discutir desenvolvimento, para discutir investimento, mas o presidente do Irfaan [Ali] sabe, como sabe o presidente Maduro, que o Brasil está disposto a conversar com eles na hora que for necessário", disse.

Lula disse que também não tratará do assunto com Maduro.

Lula e o presidente da Bolívia, Luis Arce, em reunião bilateral no Itamaraty em 2023. — Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação

Lula e o presidente da Bolívia, Luis Arce, em reunião bilateral no Itamaraty em 2023. — Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação

 

 

Outros encontros importantes, durante a Celac

 

Além da agenda com Nicolás Maduro, Lula aproveitará a participação na Celac para outras reuniões de peso. Entre elas, um encontro ampliado com o presidente Gustavo Petro, da Colombia, e chanceleres do Chile e do México sobre a situação na Faixa de Gaza.

No dia 18 de fevereiro, durante viagem à Etiópia, Lula classificou como "genocídio" e "chacina" a resposta de Israel na Faixa de Gaza aos ataques terroristas promovidos pelo Hamas. E comparou a guerra em Gaza com o Holocausto promovido por Adolf Hitler contra milhões de judeus. 

Também está prevista uma reunião bilateral com o Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres.

Além disso, Lula deve se reunir com Luis Arce, presidente da Bolívia, que se tornou o quinto membro efetivo do Mercosul, no ano passado, e ter uma audiência bilateral com a ministra das Relações Exteriores do México, Alicia Bárcena Ibarra.

Também está prevista a assinatura de um acordo de serviços aéreos entre Brasil e Antígua e Barbuda, com o primeiro-ministro e o ministro das Relações Exteriores do país caribenho.

Comentários:

Veja também

Fique a vontade para nos enviar sua mensagem!